A Paula Anda Perdida

A Paula tem este mal dentro de si, achar que os outros são como ela, que agem da mesma forma, sempre com a intenção de dar o máximo de atenção. É uma pessoa demasiado responsável e que gosta das coisas certinhas, gosta de bastante atenção e carinho. Ela gosta que retribuem da mesma forma, mas nem sempre isso acontece, ela tenta compreender, mas chega a um limite que começa a sofrer. Ela gosta que a tornem uma pessoa especial, que a vejam com outros olhos e não como uma pessoa banal como tantas outras que andam por aí. Ela gosta de ser sincera e às vezes diz coisas da sua vida que se calhar nunca devia as dizer, pensando sempre que as pessoas são de confiança e que elas vão também corresponder da mesma maneira, falando sobre si, mas isso nem sempre acontece. Ela às vezes acha-se muito ingénua em acreditar que todos têm coração mole como ela, que vão sentir falta das suas palavras, da sua presença, mas engana-se sempre redondamente. Ela por se afeiçoar, sente sempre falta das pessoas com quem criou empatia, com quem confiou, depois como vê que os outros não se importam, então ela afasta-se, foge para não se magoar mais, para não ser sempre ela a dar atenção, a preocupar-se, a querer mais e mais, quando cada um tem a sua vida e não tem que levar com ela. Ela acha que vai acabar sozinha, amargurada, mas não quer pensar muito nisso. Ela isola-se cada vez mais, pensando ser a melhor opção, mas o que ela queria mesmo era alguém perto dela, alguém amigo, alguém que lhe dê-se atenção e mimo, alguém que saísse com ela, que lhe dê-se a mão. Ela aos poucos vai desistindo, até que um dia talvez apareça uma luzinha ao fundo do túnel e lhe dê brilho e esperança. Que lhe faça ver que alguém estende os braços e lhe quer bem, que lhe dará o que ela tanto anseia. Até lá, ela vai recusando se apegar a alguém, vai desistindo e a olhar fixamente até se cansar. Ela precisa de alegria para viver, precisa somente ser feliz.

Comentários

  1. Muito de complicado deve ter-te acontecido e que desabou aquele sentimento jovem e apegado à vida. É certo que tens imenso pela frente e nada está, como escreves, a ficar mais complicado do que já era. Apenas, parece-me que estás a baixar os braços de ti mesma, essa Paula que ainda está ai. Temos de gostar de nós acima de tudo e ser felizes connosco, sem precisar de outra pessoa, para podermos fazer alguém feliz e muitas vezes atrair um bom amigo ou algo mais. Porque não tentas arranjar um hobbie? Um plano até ao fim de ano de coisas que gostasses de fazer? Voluntariado por exemplo, visitar idosos, crianças, doentes, sem abrigos é tudo tão gratificante. Mas faz, mesmo que não tenhas vontade de te expor tanto, que tens a perder? Tudo te diz que vai correr mal...mas há alguma coisa escrita? Não está somente dentro de ti, o que colherás amanhã? *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vital eu sou assim, tenho fases menos boas. Às vezes até pareço bipolar, ora estou muito feliz, ora estou de rastos. Eu sei essa "lenga lenga" e desculpa a expressão de que temos de gostar mais de nós e de não precisar de ninguém para ser feliz. Mas nem sempre isso é assim como se escreve, é certo sim que temos de gostar de nós próprios e procurar sermos felizes sem depender de ninguém, mas chega a um limite da vida que tu te perguntas e agora? Há algo que me falta. Já se passaram tantos anos e agora, nunca mais aparece ninguém? Terei de andar sempre sozinha por aí? Sim, poderia fazer voluntariado, mas talvez tivesse de ir para fora da minha zona, já pensei nisso tudo que falas. E sim , talvez me falte mais ocupação, mas não é isso que vai daqui a um tempo voltar a perguntar, e agora? Estou novamente como estava há uns anos atrás. E sei que são fases que eu tenho, umas vezes ando bem e felicíssima, outras parece que desisto de tudo e de todos e com razão. E também digo, quem quiser lê, quem não quiser não lê, eu tenho o meu blogue para desabafar, porque me faz bem. E sim pareço uma lamentadora sem garra, sem força, mas nem todas as vidas são iguais, nem todos tomam os mesmo rumos.
      Enfim, estou até naqueles dias que nem me suporto a mim própria por ser assim.

      Eliminar
    2. :) sabes, todos passamos por dias ou semanas assim. Mas o mundo está lá fora à tua espera, a sugestão que dei é que te daria a conhecer outras pessoas (muitas mais) e isso permitia-te renovar os amigos e talvez...Ele estar por lá e imagina, a fazer algo que tu também gostas. Continuarei a ler e desculpa se fui directo, tendencialmente eu digo sempre o que sinto e se calhar, não o devia nesta situação. Deixo-te a pergunta, é verdade que te sentes mesmo muito pequenina, mas não terás tu força para ires contra ti mesma nessa ideia? :) **

      Eliminar
    3. Eu compreendi o que quiseste dizer Vital e agradeço o teu comentário, serão sempre bem-vindas as tuas palavras e não disseste nada de errado.
      Eu sinceramente ando esgotada e às vezes não vejo sentido nenhum nesta vida, pareço uma besta andante por vales perdidos. Não acredito que tenhas muitas forças em relação a isso. Desde os meus 15 anos que penso tal e qual como penso hoje. Por isso que de vez em quando todas as forças que tenham, parecem desaparecer e a "depressão" aparece.
      Enfim... Sou uma pessoa muito simples, mas de uma mente muito complicada.

      Eliminar
  2. Paulinha também temos de abrir caminho para encontrar a tal "felicidade"!!!! ela não bate à porta pura e simplesmente!!! precisamos de sair, conhecer pessoas novas e para isso não temos que dar tudo de nós!!! Há que ter a consciencia de colocar cada pessoa no lugar que ocupa em nossas vidas... e acredita que não é muito difícil assim!!!
    Beijinhooo****

    ResponderEliminar
  3. Essa fase vai passar, minha querida!
    Mantenha a calma, não se desespere e reaja da maneira que puder :)
    Um beijinho!

    ResponderEliminar
  4. Ai Paula, Paula. Como eu compreendo o que sentes. Muitas vezes me identifico contigo. Olha pensa que é uma fase e que isto não vai estar sempre mal.
    Há pessoas que não merecem nem um pouco da atenção que lhes damos [mas o nosso coração mole faz-nos acreditar que toda a gente é como nós]. Basta sermos fortes para nos levantarmos sozinhas e seguirmos com a nossa vida adiante. Muita força*

    ResponderEliminar
  5. O segredo é esperar menos, muito menos...

    Mas não deixes que isso te afecte, eu sei o quanto é difícil, mas acredita não vale a pena :)

    Tudo vai acabar por melhorar :)

    Força :)

    ResponderEliminar
  6. minha linda....este texto poderia ser meu...melhores dias virão acredita...apenas não te isoles porque ao faze-lo estas a fechar portas a oportunidades de conheceres essa(s) pessoa(s)...
    Respira fundo e ergue a cabeça...porque eu acredito que serás recompensada =D

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Madrinha tem Saudades Tuas

Tragédia que Nunca Esquecerei

Puffs Mágicos - Uma ideia criativa