Maldita a Hora que Te Conheci

Porque me afeiçoo tanto às pessoas? E depois custa-me suportar ficar longe delas.
Revolta-me ser assim e pior quando por quem me afeiçoo, está se borrifando para mim.
Miséria a minha...
Acabo por perder o apetite, por andar mal o dia todo a pensar a pensar e a pensar, odeio ser assim, importar-me por quem não se importa comigo. Queria ser fria neste aspecto, largar tudo para trás e não querer saber mais. Mas custa-me imenso. Eu que andava tão bem e agora por causa de uma mera amizade ando esgotada, triste e desmotivada. Maldita a hora que me afeiçoo às pessoas e ainda por cima dar importância. Nem devia sequer estar a falar disto, mas sim banalizar. Como é que as pessoas fazem para não se importar, para não se afeiçoar, que conseguem atirar para trás das costas e não pensar mais? Ocupar o espaço vazio com outra pessoa? Sim, foi o que essa pessoa fez e por isso a minha tristeza também, mas para quê me aproximar das pessoas se depois saio magoada? E para elas é indiferente que me afaste ou não, serei sempre uma pessoa como tantas outras que sai e entra na vida das pessoas, não consigo ser assim. Mas dou cabe de mim com esta angustia no peito.
Pareço uma estúpida apaixonada, mas é que nem apaixonada estou, mas agarrei tanto aquela amizade, que agora só de saber que foi em vão, destrói o meu coração.

Comentários

  1. Hmm...pelo que tens exprimido, parece-me maior que uma amizade, mesmo com pouca paixão. *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredita que não é paixão nenhuma Vital, eu sei bem. Mas afeiçoei-me muito à pessoa, ela fez me muito bem durante determinado tempo. E criei muita empatia com ela. Agora que foi tudo por agua abaixo, custa imenso saber que afinal aquela amizade que idealizei tanto, desmoronou. E revolta-me estar sempre a pensar nisso e perder o apetite.

      Eliminar
  2. oh querida compreendo o teu estado de espirito... há mesmo amizades assim. e eu sou como tu, também às vezes acredito e afeiçoou-me demais às pessoas e depois quando vamos a ver, só nós é que valorizávamos aquela amizade.
    mas centra-te noutras pessoas... não te feches, nem te deixes ficar mal por quem não merece. (e pessoas assim só vêm provar isso mesmo, que não merecem a nossa amizade!)
    força!
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mal é que tenho tendência em me fechar, penso que não vale a pena estar a conhecer mais pessoas quando eu dou valor e elas simplesmente julgam-me como uma pessoa como tantas outras. Gosto de amizades seguras, gosto de me afeiçoar, mas que essa pessoa também ganhe afeição. Se for só eu a ganhá-la, vou sofrer, é certo.
      Houve uma pessoa que me apoiou nesta situação e que senti de facto que poderia criar uma amizade com essa pessoa, mas estou me afastar, porque a distancia não ajuda e eu não me quero magoar. Eu sei que fugir não é solução e em parte deixo de conviver com as pessoas, mas o meu medo de sofrer é maior. Também pelo facto de saber que me afeiçoo facilmente às pessoas.

      Eliminar
  3. Ah minha querida, quem se dispõe a amar ou a fazer uma amizade mais profunda corre o risco da decepção, a vida é assim infelizmente, mas procure tirar daí o que ficou de bem, o que esta pessoa deixou de bom em sua vida...beijinhos no coração minha linda e se cuide

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Maria pelas tuas palavras :)

      Um beijinho enorme tb para si*

      Eliminar
  4. Acredito que muita gente ao ler este texto vá pensar que poderia ter sido a própria a escreve-lo.Quem já não sentiu o mesmo que estás a sentir?Isto de gostar dos outros é uma eterna luta,entre a quem nos devemos dar a conhecer,em quem devemos confiar,é algo que nunca iremos viver na medida certa porque provavelmente ela nem existe.Acredita que nem todas as pessoas são iguais e que há muitas pessoas que partilham os mesmos valores da amizade que tu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão Marcia.
      Nunca sabemos se havemos de dar um passo a seguir, eu já arrisquei mais, mas agora (podem até me chamar cobarde) prefiro afastar-me. Chego à conclusão que acabo sempre em sofrimento. Ou eu não sei lidar com as pessoas e apego-me muito a elas, ou elas não sabem lidar comigo.

      Eliminar
  5. Tens que fazer um ajuste nas tuas expectativas!
    Quanto mais ajustadas estiverem à realidade, menores dissabores terás!
    Beijo Paula!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dix não é fácil fazer esse ajuste. Por mais que tentamos, custa controlar ou fazer ajustes como referes, pois são sentimentos que estão entrelaçados na amizade. E sentimentos não se mudam assim do dia para a noite, é como amarmos uma pessoa e tentar esquecê-la. Os sentimentos não são fáceis de domar :) Depois afeiçoamo-nos e quando a coisa dá para o torto, andamos de rastos. Eu ando, essa pessoa é que não. Porque facilmente arranjou com quem partilhar amizade sem sequer conhecer a pessoa, ou seja, fez tal e qual como foi para me conhecer. Enfim... É uma treta eu ser assim.

      Eliminar
  6. Sou exactamente assim, acredita. Apego-me sempre demais às pessoas, por vezes é bom, mas quando partem dói...

    ResponderEliminar
  7. Acontece frequentemente que quando se gosta de alguém para mais que amizade e não somos correspondidos, não temos alternativa senão afastarmo-nos e, acredita, que se sofre muito...pois, nem sempre se consegue estar apenas por amizade. Dói muito, mas pode ser a única defesa. Não será o caso desse teu amigo? Desculpa, mas foi o que me ocorreu quando li o texto acima.

    Mariana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Mariana Bem-vinda :)
      Não, era apenas e só amigo, nem paixão sinto por ele. Isso eu tenho certezas. Mas tive uma ligação forte com essa pessoa. E agora o afastamento ressente-se. Mas pronto, ele está melhor que eu, e eu só tenho mesmo de seguir com a minha vida e tentar não pensar mais nele. Porque estar magoada por quem não merece e se está borrifando, não vale mesmo a pena. Mas sempre fui assim, afeiçoo-me demasiado às pessoas e dou-lhes extremo valor, depois magoo-me porque tb crio demasiadas expectativas nessa pessoa.

      Obrigada por comentares, volta sempre* :)

      Eliminar
  8. Ultimamente dou por mim a pensar que encontro pessoas com os mesmos problemas, medos, sensibilidades, desilusões, descrenças...

    Também tenho o meso problema. Quando me ligo às pessoas fico praticamente dependente delas. Mas j+a tive uma evolução (outra). Andei um mês triste por essa pessoa deixar de ligar e pensei: não vou voltar a fazer o mesmo. Não posso estar a preocupar com quem não se preocupa comigo.

    E, com a tal ajuda tenho desligado das pessoas, porque me preocupava com tudo e todos. Nunca pedi nada em troca, porque o que damos como pessoas, não deve ser pedido. mas doi saber que quando aquela pessoa esteve mal estive lá, e agora nem quer saber de mim...

    Vou dar um caso concreto da minha vida: entrei numa empresa e estavam a pedir mais pessoas. Pensei logo numa prima minha que tinha perdido o irmão(era como se fosse meu irmão) e vivia apenas com a minha tia/madrinha. Como ela com 30 anos nunca tinha tido trabalho consegui mete-la no mesmo departamento que eu... mas tive que insistir muito porque ela até deixou de falar para mim e para outras primas minhas (feito...). Mas por infelicidade minha, a minha chefe maltratou-me, humilhou-me e tive que sair... Posso dizer que dava boleia à minha prima, ajudava-a quando era precisava, vinha a chorar para casa... E nucna tive uma palavra dela!! Muitas vezes ela nem falava pelo caminho! ia no meu carro, sentava.se e só se ria e falava quando lá chegava.
    Sabes, nunca tive um obrigada da parte dela, da minha tia/madrinha. Dói... Foi aí que acordei para a realidade. Quando faleceu o meu primo telefonava todos os dias (estava fora da minha cidade) para elas... Eu que vim para casa com uma depressão, esgotamento nunca mais a vi, nem ela perguntou se andava melhor... Nem a minha madrinha q andava sempre preocupada comigo.

    Infelizmente tenho mais casos destes, mas este é o mais recente. Felizmente ela tem trabalho, eu não. Mas inveja não sinto. Fiz o que deveria fazer. Ajudar.

    Beijinhos... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. G. compreendo-te perfeitamente.
      E obrigada por partilhares uma situação tua, da tua vida que de certo modo só a ti diz respeito.
      Eu (e tu) temos de manter em mente que as pessoas não são como nós, já me dei conta disso várias vezes, mas esqueço-me sempre quando estou a confiar em alguém. Eu sei que se damos não é com o intuito de nos retribuírem, mas no fundo queremos a mesma atenção que demos, os mesmo apoio e depois damos por nós a dar mais de nós próprios que a receber.
      Enfim, temos de viver com o Mundo que nos rodeia, seja ele qual for.

      Eliminar
  9. Oh, minha querida! Essas coisas acontecem o tempo todo e com todos nós. Criamos expectativas que não são atendidas. E também, muito provavelmente, não atendemos expectativas que outras pessoas criam em relação a nós.
    Não há muito o que fazer... Segue em frente e não fecha o seu coração. Todas as pessoas que passam pela nossa vida, fazem algum sentido. Seja por um dia, um mês ou um ano!
    Um beijinho carinhoso :)

    ResponderEliminar
  10. É mesmo complicado :(

    Mas não deixes que essa pessoa te deixe triste, acredita que, se ela não se importa, também não merece de modo algum que fiques triste por causa dela.

    Eu já consegui criar uma defesa quanto a isso, mesmo assim é difícil sentir que mais uma vez fomos 'enganadas'.

    Uma pessoa acaba sempre por ficar triste :(

    ResponderEliminar
  11. não queiras ser como essa pessoa acredita...acho que ela é assim porque realmente nunca se importou verdadeiramente...

    ResponderEliminar
  12. Como eu te compreendo... Também sou assim, e também já sofri por ser como sou.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Madrinha tem Saudades Tuas

Puffs Mágicos - Uma ideia criativa

Em modo de Desabafo...