Um Amor de Volta - Parte Final

O dia chegou e encontramo-nos no dito café à hora combinada. Confesso que estava nervosa e um pouco receosa devido ao que se ia passar neste encontro, mas com certeza seria a ocasião certa para dar uma resposta e perceber alguns pormenores ocultos até agora.
Eu pedi um chá de frutos silvestres e tu uma água com gás com sabor a limão. Ficamos breves instantes em silêncio sem saber por onde começar, foi então o silêncio quebrado por ti dizendo que já tinhas tido um relacionamento depois de estares comigo. Em parte não fiquei surpresa, isso um dia teria de acontecer, mas fiquei ainda mais intrigada, pois então porque razão ele se encontrava aqui comigo?
Logo após terminarmos a relação, ambos ficamos de rastos, mas por palavras dele, ele próprio sofreu uma depressão e quis muito voltar a reconciliar-se comigo, só não o fez porque voltaríamos à mesma rotina, com os problemas na mesma a serem aguentados e sentiu que não havia perdão depois tudo o que me dissera naquela noite ao desistir de tudo. Tento compreender a posição dele na altura, mas eu no lugar dele tinha agido de outra forma e não quereria perder a pessoa que amo. Enfim, somos todos diferentes, é isso que nos difere uns dos outros, as opiniões, personalidades, ideias... todo um pensamento por vezes nada racional. A sua recuperação foi graças a uma rapariga, sua colega de trabalho, que o apoiou e esteve sempre do seu lado, até mesmo naqueles momentos mais deprimentes e melancólicos. Foi aí que perceberam que toda aquela amizade não se baseava apenas no trabalho e estendeu-se até ao namoro e viverem juntos. Em apenas 3 meses tinham criado uma relação sólida e que ao olhar de muitos parecia uma relação perfeita. Mas ele, o R., apercebeu-se que passado meio ano aquela relação não iria durar muito, pelo simples facto do seu coração chorar por outra pessoa, pessoa essa que sou Eu. Tudo correu bem ao inicio quando o R. estava embaixo, precisava de um ombro amigo, mas deixou-se levar pelos carinhos e atenção da sua colega, que viera a descobrir que estava apaixonada por ele desde o começo do estagio dele. 
Hoje sente-se culpado por se ter precipitado e ter pensado que amaria outra pessoa que não eu. Separaram-se e mantiveram-se na empresa mais meio ano, ao qual o R. não aguentou muito mais tempo ao vê-la todos os dias da semana e ter despedaçado aquele nobre coração, que sempre amparou o R. quando mais precisou. Já nem amigos eram então o melhor seria pedir transferência ou demitir-se, nem pensando duas vezes no assunto e o seu destino não seria nem mais nem menos aqui, neste café onde nos encontramos os dois a contar os relatos de tudo o que se passou na vida de cada um durante o tempo que tivemos afastados. Agora digam-me, acham mesmo que ia desperdiçar esta oportunidade de ele vir trabalhar e viver perto de mim? De viver o meu grande amor? A minha resposta foi obvia, agora que a distancia não é um problema (o único que nos atormentava), posso assumir que quero ser feliz junto a ele e que jamais ele fuja de mim novamente. 
Para que conste eu não tinha nenhuma relação amorosa com a pessoa por quem me atrai nestes últimos dias, mas claramente vou explicar que a nossa relação não passará de amizade. 
A vida coloca-nos à prova, podemos caminhar contra a corrente, errar, tropeçar, magoar-nos, mas só ela nos puxará para a verdadeira realidade, que é a nossa felicidade. 

Sejam felizes*

[Imaginação] 
P.S.: Não sei porquê mas desta vez a historia não me saiu com sentimento, talvez tenha sido do dia que passei ou do estado de espirito, mas queria acabá-la. E escrever é o meu anti-depressivo)

Comentários

  1. Fico mesmo contente que esse encontro tenha corrido bem. Tudo se começa a encaminhar... Vai dando notícias!

    Beijinhos***

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Terminou bem esta historia :)
      Atenção que não é nada pessoal, nada a ver comigo. Tudo inventado :)
      Beijinho*

      Eliminar
  2. Olha que eu gostei muito da história, até porque levantaste questões pertinentes durante os textos, isso leva-nos a reflectir :)

    ResponderEliminar
  3. A distância por vezes leva a que perdemos um grande amor, porque é horrível queremos amar fisicamente a outra, sentir o seu cheiro, tacto, etc... e quando isso não é possível muito tempo leva-nos em boa parte a loucura...
    E quando é possivel estar com essa pessoa acabamos por vezes sufoca-la completamente, em vez de um estar harmonioso. E quando uma das partes é em parte inseguro (falo por mim) ai mais nos leva a loucura. Realidade ou não, podendo estar perto de quem amo, é que nem pensava 2 vezes e tentaria ser feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade fairwind, há casais que sufocam-se um ao outro (ou uma das pessoas da relação sufoca a outra) quando estão perto demais, o que nem sempre é bom e saudável, porque deverá haver sempre algum espaço, algum tempo sozinhos ou a fazer algo que gosta sem o outro vir atrás. Já basta depois do casamento que aí estão sempre juntos :)
      E é muito bom sentir saudades, a meu ver fortalece a relação.

      Eliminar
  4. Adorei a história e o final não podia ser melhor :D
    Tens realmente muito jeito com as palavras, como se as moldasses como se faz plasticina e, de algo que não era nada, aparece uma coisa tão linda e criativa.
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada PS, é muito bom ler essas palavras.
      Beijinho* :)

      Eliminar
  5. Tenho primeiro que agradecer as palavras que me deixas, é sempre bom chegar e ler um comentário teu, sabe sempre bem.
    Depois, que bonito o que escreves e sabes porque cativa? Porque escreves na simplicidade do sentimento, da tua forma de ver o amor e isso faz com que cada palavras nos prenda desde o inicio.
    Nunca é uma desilusão aqui passar.

    Um Beijinho :)

    ResponderEliminar
  6. E eu a pensar que isto era pessoal. Aii que me enganas rapariga!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por isso que acrescentei no fim [Imaginação] para não haver enganos :p

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Madrinha tem Saudades Tuas

Puffs Mágicos - Uma ideia criativa

Em modo de Desabafo...