A Emigração

Actualmente o que se vê mais são emigrações. Normalmente pelo simples facto de não arranjar emprego e tentar a sua sorte fora do País. Eu sinceramente não me vejo a emigrar, acho que por mais que tentasse, voltava passados uns dias. Posso ser fraca neste sentido e não tentar ser independente desse modo, mas acho que nunca conseguiria largar tudo para trás e recomeçar noutro País, muito menos sozinha. Admiro quem consiga, admiro mesmo a força de vontade que têm, a luta pela qual estão dispostos a realizar e sobretudo a vontade de conquistar uma vitoria no seu futuro que é estar bem profissionalmente e consigo mesmos. Mas será que tudo isso valerá a pena? Pode valer sim, se forem pela experiencia, pela conquista de apenas serem bem sucedidos profissionalmente, mas... e sentimentalmente? Será que isso se consegue? Sim, pode acontecer encontrar alguém nesse País para onde se emigra, mas e a família? Aquela que deixamos para trás, não conta? Para mim, conta e muito, mais do que alguém possa imaginar e é por ela que me prendo no País que estou, é por ela que vivo. Não consigo pensar na ideia de os deixar por muito tempo, de os deixar de ver ou estar com eles, de conviver... não conseguiria ir para fora e ser feliz quando as pessoas mais importantes estão aqui deste lado do oceano Atlântico. Por mais que me digam, que temos de ir à luta, temos de fazer pela vida e que o melhor é emigrar, eu coloco sempre essa opção de lado. Não quero ir a lado nenhum e podem muito bem chamar-me de menina dos papás, mas são eles as "peças" fundamentais na minha vida e esperando eu que mais tarde seja o meu marido e filhos, mas não quero fazer vida longe daqueles que mais amo, seria infeliz sem sombra de dúvida. Não conseguiria ter a mesma força e coragem que muitos têm, de conseguir aguentar as horríveis saudades a massacrar-me o peito e a mente, ir trabalhar todos os dias a pensar que talvez só os vou ver uns dias num ano inteiro, em que será apenas trabalho-casa, casa-trabalho para ter um ordenado ao fim do mês que isso nem sentimentos tem. O dinheiro é importante sim, mas será mais ainda se não tivermos amor e carinho por perto? Desculpem, mas não consigo, talvez não seja assim tão lutadora, porque saber que estou longe das pessoas que me fazem feliz, é de cortar-me o coração.
E acho que nesta sociedade falta muito isso, sentimentos, há muita crise de emprego, financeira e por aí adiante, mas também há sentimental. Porque cada vez mais as pessoas não dão valor ao que têm ao seu lado, que dinheiro não é tudo na vida, que afinal a felicidade não se procura em emigrar. Sei que não está fácil por cá, tenho bem a noção disso, mas optar por sair do meu País, só se me obrigassem e mesmo assim não sei se ia aguentar, atrevo-me a dizer que uma depressão poderia aparecer e chegar a esse ponto, é chegar quase à fase final do Mundo sem esperanças.

P.S.: Desculpem se magoei alguém com as minhas palavras, isto é somente a minha opinião e cada um é como cada qual, nem todos são iguais, aliás todos nós somos diferentes, é isso que nos distingue no Mundo.

Comentários

  1. Boa noite,

    Hoje este teu post teve um enorme significado para mim. Infelizmente já vi esta possibilidade mais longe, mas parece que o nosso país não dá oportunidades a quem faz de tudo para ser um pouco mais no futuro.

    Um Beijinho :)*

    ResponderEliminar
  2. Eu sempre quis imigrar. Não queria viver a vida toda num pais diferente mas gostava de ter essa experiência! Felizmente consegui, durante 3 meses. Sinceramente acho que não aguentava mais tempo fora do meu país. Sou muito ligada à minha familia e apesar de ter um bom emprego e o meu namorado sempre lá a apoiar-me custou imenso. Adorei a experiência mas fez-me perceber que há coisas muito mais importantes do que ter um bom emprego :)

    ResponderEliminar
  3. Olá :D
    Bem, como sabes eu estou longe de casa, não estou do outro lado do Atlântico, mas mesmo assim estou longe e posso dizer-te que sim, custa muito, dói não estar com a família, dói saber que o meu maninho pequeno está a crescer e eu não vejo, dói saber que o meu outro mano está a tornar-se um homem e eu não posso estar lá para ela; dói não poder estar lá nos momentos infelizes e nas grandes celebrações.
    Mas a verdade é que, depois de tanto tempo fora começa a entranhar-se essa sensação, não de solidão, mas de independência. Custa à mesma, mas começa a deixar de doer tanto.
    Já que estou a escrever este testamento, aproveito para dizer que o meu sonho, infelizmente, está para lá das águas do Atlântico.
    Beijinhos e boa semanita :D*

    ResponderEliminar
  4. Este texto bem poderia ter sido escrito por mim! Neste momento todos os meus colegas pensam nisso e eu penso em ficar cá! Eu sei que na minha profissão (enfermagem) lá fora ganhamos bem, trabalhamos menos... Mas lá fora falta-me tudo o que aqui tenho, familia amigos, os meus animais....
    Também penso sm ficar por cá!

    ResponderEliminar
  5. Infelizmente a emigração neste tempo que vivemos é a solução para muitos por mais que custe e as saudade sejam muito dolorosas as necessidades podem ser maiores depois já vai da psicologia da pessoa e maneira de pensar :) bjinhos

    ResponderEliminar
  6. Acredito que muitos dos que emigram se veêm forçados a fazê-lo, por falta de oportunidades no país e condições economino-financeiras.
    Quando falta comida na mesa, todas as possibilidades têm de ser equacionadas.
    Mas não é fácil abandonar os que nos são próximos...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Madrinha tem Saudades Tuas

Tragédia que Nunca Esquecerei

Puffs Mágicos - Uma ideia criativa