Dói-me o Coração Ver Alguém Sofrer


Amanhã vou a um funeral, isto porque o pai da minha melhor amiga faleceu este sábado passado. Muito sinceramente não gosto nada de assistir a estas cerimonias (acho que ninguém gosta), são momentos muito tristes e que transbordam imensas lágrimas e olhares cabisbaixos. Claro que sendo minha amiga vou sem pensar duas vezes, pois são momentos como estes que mais precisam de nós. Mas normalmente só vou quando as pessoas me são próximas  porque evito mesmo ter que assistir a tanta mágoa. Fico mal e acabo por chorar também. Em toda a minha vida que me recordo só fui a 4 funerais. Dois deles era pequena, pois foi quando os meus avós maternos partiram, sei que na altura não me afectou muito porque como criança que era não me apercebi que o pior estava a acontecer. E sei que apenas assisti à missa e pouco mais, os meus pais tiveram o cuidado de evitar expor-me perante "imagens" que me pudessem "traumatizar", se assim o posso dizer. E como é evidente hoje pouco ou nada me recordo disso. Depois os outros dois foram recentemente, um deles apenas tive na morgue com a minha mãe para dar apoio à família da pessoa falecida, que a nós não nos era nada, mas sendo o velório da mãe de uma colega de trabalho da minha mãe e como conhecia a sua filha, neta da falecida, resolvi ir e estar um pouco com ela. Finalmente, um outro funeral que assisti foi de facto o mais doloroso, não pela perda da pessoa porque não me era nada de família  mas convivi com ela algumas vezes e por ser mãe de um tio meu e avó de primos que tenho presentemente.
Tudo correu bem quando estávamos na morgue, apesar de um pouco nervosa porque sinto-me um pouco desconfortável nestas situações. O pior foi quando fomos em direcção à Igreja, fazendo a dita procissão, quando ouvia gemidos, choros, lágrimas em rostos devastados, enfim desatei a soluçar e a chorar que nem conseguia conter a minha emoção. Ainda para mais tinha sido em época natalícia  o que me fez pensar numa data de coisas. Parecia que estava a sentir por dentro as mágoas daqueles que choravam por alguém que partira, a mim sinceramente não afectou-me a perda daquela pessoa, mas sim os corações espedaçados.
E confesso que tenho muito medo da morte ou morrer, de todo o sofrimento que se venha a sentir, às vezes penso que não vou aguentar a perda dos meus pais, vai ser muito doloroso, enfim, também não quero falar disto.
Tudo para dizer que comigo a lágrima cai com facilidade e "vibro" muito com as emoções. Sou sensível e deixo-me tocar seja por situações alegres como tristes e normalmente tenho a visão de me rever na pele dessas pessoas, no sentimento que elas carregam e que fazem transparecer. Não consigo ficar indiferente.

Comentários

  1. Sabes que o meu avô morreu há pouco tempo e eu não fui ao funeral dele. Não quero recordações tristes nem a imagem dele no caixão porque é-me muito doloroso pensar nele assim...prefiro lembrar-me dele como ele era e curiosamente, a última imagem dele que tenho é a de um adeus.. Eu passei por ele de carro e dissemos adeus um ao outro e foi o último.
    Faz parte da vida dizer adeus, despedirmo-nos das pessoas e viver sem elas. Dói, existe uma dor pela ausência que sabemos que nunca vai ser colmatada nem ultrapassada, simplesmente diminui com o tempo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso acho que não conseguia fazer, não ir a um funeral de um ente querido, ainda para mais próximo. Pode custar sim, mas é o ultimo adeus e dou importância a isso. Claro que podes dizer Adeus em casa e com as tuas orações, mas é uma tradição fazer um funeral e despedirem-se da pessoa querida. Mas são opções e compreendo a tua :)

      Eliminar
  2. É sempre difícil, eu nunca sei ao certo como reagir nestas situações. As palavras parecem que escasseiam.

    Beijito* grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes crer. Às vezes até tenho medo de falar algo de errado que magoe.
      Mas pronto, correu bem :)
      Beijinho

      Eliminar
  3. A morte é aquele velho assunto... :( Já veio à minha vida buscar tantas pessoas. Eu tenho medo de morrer e pena de deixar os que amo, embora eu acredite que com a idade vamos acabar por a ir aceitando.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, temos mesmo de aceitar, é a lei da vida. Mas custa e envolve muito sofrimento :(

      Eliminar
  4. Eu não gosto de funerais (pelas razões óbvias) e de velórios muito menos. Acho uma autentica parvoíce estarem não sei quantas pessoas à volta de um defunto horas a fio. As pessoas mais chegadas ficam completamente esgotadas física e emocionalmente. Já para não falar da quantidade de gente que aparece porque sim, muitas vezes sem conhecer ninguém da família. Eu já disse à minha mãe que se morresse antes que ela não queria ser velado mas ela não me faz caso.
    Enfim, é a minha opinião, desculpa o longo comentário :D
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em parte concordo contigo, estarem muitas horas com o defunto só faz piorar o estado emocional e consequentemente o físico. Mas pronto, também ninguém é obrigado a fazê-lo. Às vezes aparecem pessoas conhecidas, talvez não com tanta afinidade, mas existe sempre alguma ligação, não com o defunto mas talvez com um membro da família, etc.
      Neste caso, eu fui para apoiar a minha amiga, mas nem conhecia o pai dela, até porque os pais dela estavam divorciados e ela pouco convivia com ele.
      Nem achei um comentário longo, podes fazer mais assim, eu gosto :p
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Infelizmente todos passamos por isso,não é fácil quando perdemos alguém e nem todos superamos as situações da mesma forma.
    Não gosto da palavra morte nem de tudo o que ela envolve,dela quero distancia mas por vezes ela aproxima se da minha vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, todos nós temos a nossa hora e é inevitável não virmos a sofrer com a perda de alguém.
      Eu também não gosto muito da palavra, até porque tenho medo de a pronunciar, mas faz parte da nossa vida e isso não podemos recusar.

      Eliminar
  6. Fui a dois velórios, e apenas a um funeral.
    Os meus sentimentos querida.

    ResponderEliminar
  7. Agradeço a tua presença naquele momento duro paulita, foi muito confortante.
    É nestas alturas que temos de arranjar forças para enfrentar o sistema nervoso, tentando sempre pensar noutras coisas, apesar da dor persistir.
    Quanto mais se pensa no que se está a passar mais a pessoa vai abaixo. Já basta o choque inicial que é sempre o pior.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tens que agradecer, como te disse sou tua amiga e isso serve para o bem e para o mal. Se estive presente é porque quis e porque sei que precisavas de apoio. Não fui porque parecia bonito ir, mas sim por seres a minha melhor amiga e isso não se tem ao virar da esquina.
      Espero que estejas melhor, beijinho enorme :)
      Sabes que podes contar comigo para tudo*

      Eliminar
  8. Que belo texto.É muito triste ver alguém sofrer e não poder fazer nada, por que tem pessoas que não aceitam ajuda, mas quando podemos ajudar que bem faz a alma.
    Amo seus dizeres.
    Um abraço carinhoso Paula e linda quarta-feira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Maria :)
      Eu gosto de ajudar, nem que seja apenas a ouvir e aconselhar. Faz bem por vezes termos alguém por perto em momentos tristes como este.
      Um beijinho e volta sempre, também gosto muito das tuas palavras aos meus posts :) Colocam-me sempre um sorriso. Tem um bom dia*

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Madrinha tem Saudades Tuas

Natal na Aldeia - Castanheira COM VIDA!

Tragédia que Nunca Esquecerei