Uma Manhã Esgotante e uma Tarde Desportiva e Relaxante

Hoje o dia, da parte da manhã, não correu nada bem :(
Para quem já segue o meu blogue a algum tempo, sabe que sofri de uma fobia generalizada social. Era um assunto que nunca pensei falar no meu blogue por ser tão delicado para mim e muito pessoal. Mas quando me senti melhor, quis divulgar a minha história e quem sabe ajudar outras pessoas com as minhas palavras.
Na altura o post que escrevi foi este ... Link.
Foi algo que me veio abalar e que me prejudica no meu dia-a-dia, contudo os ataques de pânico acabaram por desaparecer, comecei a lutar contra a esse medo e a vencê-lo. Foi-me complicado, mas comecei a andar muito melhor, mas nunca a 100% infelizmente. Pelos vistos ela (fobia) andava silenciosa, pois hoje surgiu e talvez eu tenha muita culpa nisso, por me ter enfiado em casa um Inverno inteiro. Em parte por estar desempregada e porque quanto mais poupar melhor, então tive de me privar de muita coisa, o que piorou o meu estado e hoje tive bem a consciência disso.

Tinha consulta na Dermatologista hoje, devido a um acne que não me larga e queria dar uma solução definitiva a isto, principalmente às marcas que acabam por me deixar muito desconfortável. 
Tudo começa quando tenho uma hora e pic de viagem para ter uma consulta, acordar bem cedo e tentar não chegar atrasada. Normalmente chego sempre a horas, mas hoje levei com 3 filas de trânsito e cheguei cerca de 20min atrasada, depois não conseguíamos encontrar estacionamento, então deixei o meu pai procurar lugar em quanto eu ia até à secretaria para fazer a inscrição.
Antes disso os elevadores demoraram tanto que tive de subir as escadas até ao piso 10, visto que já estava atrasada, não estava com paciência para esperar por elevadores que demora cerca de 3 minutos a descer.
Subi as escadas, mas já aí sentia-me cansada e sem forças (mal o meu não ter comido o pequeno almoço, pois não sou de tomar muito cedo). Além de me doer os músculos (por falta de exercício, pois desde Janeiro que não vou à aeróbica).

Depois então fui fazer a inscrição e aí tudo muito bem, o mal foi a seguir... um corredor e sala de espera cheiíssimas de gente, um cheiro a hospital que enfim e finalmente o meu sistema nervoso a querer atrapalhar-me. Tentei sair da confusão e ir para a parte dos elevadores espairecer, já sabia que estava a ter sintomas que antes havia tido, tentei de alguma forma acalmar-me e fazer a respiração, mas nada estava a ajudar-me. Via gente a sair e entrar nos elevadores, uma confusão que me estava a deixar angustiada. 
Liguei ao meu pai dizendo-lhe que estava no piso 10 para depois ir ter comigo e que não estava a sentir muito bem. Ao que o telemóvel (que está bom para a reforma) resolveu ficar sem bateria. Enfim, tudo aquilo estava a deixar-me cada vez mais aflita, tentei de alguma maneira controlar e ignorar este medo da confusão e pensamentos negativos, mas nada estava a funcionar... Sozinha via-me como se estivesse insegura ali naquele local e resolvi pedir ajuda e chamar uma enfermeira, para que me levasse para um local mais calmo e me dê-se água para beber. Logo aí comecei num choro incontrolável, a tremer e a soluçar, as enfermeiras foram impecáveis comigo e ainda conseguiram fazer-me sorrir, mas até me controlar ainda levou algum tempo.
Até que o meu pai aparece, senti-me ainda mais triste por ele me ver naquele estado, enfim.

Eu pensei que estava livre de uma vez dos ataques de pânico, mas afinal enganei-me, aliás o medo enganou-me e apoderou-se de mim como antigamente. 
Depois de calma, eu regressei então para uma sala mais vazia, a aguardar a chamada para a consulta, mas o meu pensamento era somente sair dali, estava cansada psicologicamente de tanta luta contra o medo e aquele local estava a sufocar-me. 

Passou então meia hora e fui atendida e se já estava mal, pior fiquei quando encarei com uma médica antipática e apressada. Nem 5 minutos tive dentro do consultório e se não perguntasse algumas coisas, ela nem sequer esclarecia. Ou seja, resumindo e concluído, apanhei um ataque de nervos e fiz uma viagem à santa da asneira.

De tarde tive mesmo de espairecer um pouco, tinha a minha cabeça em água.
Fui fazer alguns exercícios de aeróbica e ginástica e umas corridinhas pequenas para começar.
Quero ver se farei isto todos os dias pelo menos uma hora, quero sem dúvida melhorar e um dos princípios será este, exercício e respiração equilibrada.

Vou começar a minha luta novamente. Ainda bem que veio o sol.


O meu material para o desporto :)
Só falta a bicicleta que estou a pensar seriamente em fazer algumas pedaladas brevemente :)

Comentários

  1. Eu já passei por uma fase dificil em que cheguei inclusive a ter ataques de panico e na altura o meu refugio foi o desporto. Ajudava-me a libertar o stress e a ansiedade que sentia. Ficava muito melhor depois de um treino. Hoje em dia não faço só desporto porque quero, continua a ser o meu escape e se passo muito tempo sem o fazer começo novamente a entrar num estado de ansiedade. Não sei se a ti te ajuda mas se pensas que sim então tenta praticar regularmente. Força :)

    ResponderEliminar
  2. Ataques de pânico até hoje nunca tive, mas crises de ansiedade são uma constante. Tiram-me o sono e rebentam-me com os nervos.
    E médicos antipáticos felizmente não lido com nenhum. Tenho a sorte dos médicos que consulto serem uns porreiros.
    Beijinhos e muita força :)

    ResponderEliminar
  3. Compreendo-te perfeitamente linda. Sei bem o que é isso! E infelizmente já passei varias vezes por isso! Mas é mesmo isso. O meu médico na altura aconselhou-me fazer piscina. Diz que fazia muito bem. Ainda não fiz, mas estou seriamente a pensar em fazer.
    O que eu faço é, todos os dias caminhar com a minha mana mal saio do trabalho no parque da cidade onde eu moro. E só me tem feito bem!

    Já sabes se precisares, estou aqui. Um beijinho Grande**

    ResponderEliminar
  4. Ataques de pânico como o teu, nunca tive. Porém, tenho um medo que não me larga e, por vezes, começo a 'bater mal'.
    Pelos comentários anteriores, vejo que alguns te dizem o que fizeram para melhorar. Pois, eu não te posso aconselhar porque nunca fiz nada, nem falei com alguém, excepto à minha melhor amiga que, mesmo assim, não sabe de tudo. Enfim, longa história!
    Espero que melhores, Paula :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  5. Já pensaste em psicoterapia ou psicanálise? Talvez pudesse ajudar consultares alguém especializado... o desporto ajuda, claro, mas não vai ser isso que te vai "curar"... Pensa nisso, és ainda muito nova, quanto mais depressa conseguires ultrapassar isso, melhor para a tua qualidade de vida... Não falo por experiência própria, mas tenho uma pessoa próxima que já passou por isso e a quem a terapia ajudou muitíssimo... Força querida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim Kate, ando a ser seguida por um especialista, eu recorri a ajuda, pois isto já me aconteceu anteriormente. Não assim desta maneira, porque quando me dava estava acompanhada e aos poucos ia controlando, até que passou.
      Mas digo-te, sou seguida mas a ajuda vem mais de mim e do esforço que terei para conseguir ultrapassar. O estar desempregada em parte não me ter ajudado muito, porque além de não estar muito activa, preciso de espairecer mais e o dinheiro não abunda para estes lados.
      Terei de começar a fazer desporto, porque em Janeiro parei e acomudei-me muito devido ao Inverno e sem apetite de sair de casa, instalava-me em frente à lareira e ali ficava. Enfim.
      Vou começar tudo de novo, é complicado, mas pronto.. não tenho outro remédio senão lutar contra o medo.

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Madrinha tem Saudades Tuas

Tragédia que Nunca Esquecerei

Puffs Mágicos - Uma ideia criativa