A Magia do Céu

Foi nessa noite que o meu olhar luziu na escuridão, pela tua presença bem saliente em mim. Foi quando o teu riso soou num impacto bem alto na minha mente que tudo fez clique. Olhei ao meu redor e só te via a ti, com uma alegria tão contagiante que adoçava a minha alma. Esse sorriso abertamente harmonioso, numa noite destas onde o luar encarava sobre mim, onde as estrelas luziam de uma forma tão diferente e tão mágica. Era possivel eu estar a sonhar? Era sim, mas soube que era real até ao momento que te viraste e cruzaste o teu olhar no meu. De súbito desvio o meu e faço com que não percebas o meu encanto por ti. Mas o disfarce foi tão mau que quando dou por mim a tentar olhar de novo, tu colocas a tua mão sobre o meu ombro e me sorris. Não consegui conter o vermelhão das minhas bochechas envergonhadas, da minha expressão encavacada e de um sorriso tão timido. Tu tinhas percebido desde o inicio que te observava, que apreciava todos os teus gestos, até aqueles mais simples. Pediste para acompanhar-te, do nada senti-me sem reacção e admirada com a tua acção. Segui os teus passos como se hipnotizada tivesse ficado, na altura olhei o céu e disse, obrigada por me dares um sinal; sinal esse de um amor que nunca acabou. Que começou num simples olhar, num toque no ombro e sentados num relvado a apreciar o momento. Nunca o tinha visto uma única vez antes desse momento, não o conhecia de lado algum e mesmo assim arrisquei e deixei-me levar pelo encanto do seu sorriso delicado e do seu toque suave. Como poderia eu nunca ter percebido que ele já se sentia atraido por mim, que perguntara quem era a aquela menina recatada, mas tão doce e eu nunca ter dado conta disso... são histórias assim que nos surpreendem, que nos fazem voar tão longe nos nossos sonhos. Hoje agradeço ao céu, por estar tão belo naquela noite e com um luar incrivel, pois só assim pude conhecer o amor que tanto procurava, mas desisti quando antes eu somente via um céu coberto de estrelas que não brilhavam para mim e que não me conduziam a lado nenhum, que me entristeciam e lavavam a minha cara em lágrimas, afinal a estrelinha esteve sempre lá a observar-me, para não perder a esperança. Ela conduziu-me àquele relvado onde permaneci lado a lado com ele e a magia esteve sempre no céu, porém eu nunca a tinha visto antes ou decifrado os seus segredos mais belos. Agora cada encontro ao luar, é a recordação de um primeiro encontro tão desejado e correspondido. Hoje recordamos como se tivesse sido ontem.

*Pura e Simplesmente Imaginação*

Comentários

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Madrinha tem Saudades Tuas

Tragédia que Nunca Esquecerei

Puffs Mágicos - Uma ideia criativa