Amar Infinitamente


Numa noite éramos apenas os dois naquela esplanada
Com arrepios que nos derretiam por dentro
Nossos corações bombeavam com imensa loucura
Desertos para que nossas peles se tocassem
Nossos lábios se saboreassem e nossas pernas se cruzassem
Olhares infinitos penetravam toda a nossa alma
Eram os desejos do amor que nos enlouqueciam
De rosa na mão tu me puxas para o teu colo
Deliciada com a tua doçura deixo-me levar
Numa imaginável sensação onde os sentimentos gritam
Explodem com o calor humano gerado
Cada toque, cada gesto ou palavra
Ficam gravados como se de um replay se tratasse
Eram continuados e cada vez mais desejados
O quarto coberto de pétalas de rosas nos esperava
Era a noite de lua de mel que nunca tivéramos
O calor intenso no nosso corpo já era insuportável
Soltavam-se suspiros e beijos onde o final não se previa
Roupas essas voavam, uma atrás da outra
Não havia tempo de espera para alcançar o desejo inevitável
Finalmente os nossos corpos se cruzam 
Nossos pensamentos navegam tão alto
Que gemidos se ouvem e prazer esse é de tal maneira incontrolável
O nosso amor une-nos cada vez mais a cada noite que passa
A saudade aperta quando nem os nossos lábios se tocam
Ou quando nem o nosso olhar se encontra
Somos desesperados quando a nossa ausência se manifesta
Só nós sabemos o quanto este sentimento nos leva ao maior sonho de todos
Ficarmos lado a lado para SEMPRE.
Amar infinitamente.

Comentários

  1. Oh que texto tão lindo :)

    Amar é isso mesmo, que saudades eu já tinha da tua poesia :)

    Linda como sempre :)

    Beijito* grande

    ResponderEliminar
  2. Parabéns pelo texto, está tão bonito :)

    ResponderEliminar
  3. escreves tãaaaaaaaao bem....gosto tanto tanto parabéns (de novo e de novo)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Madrinha tem Saudades Tuas

Tragédia que Nunca Esquecerei

Avó Ausente