Profissões

Por vezes só damos valor àqueles que têm uma boa profissão, com licenciatura etc. E acabamos por desprezar um pouco as outras profissões que muitos dos nossos pais têm, pois antigamente nem todos continuavam os estudos, só mesmo os que tinham mais posses.

Há profissões que deveriam ser mais valorizadas e melhor pagas que outras que é só sentar na cadeira e escrevinhar. Todas as profissões têm a sua responsabilidade e o seu dever de ser cumprido, mas também sabemos que algumas são ocupadas por pessoas que nem profissionalismo têm e muito menos aptas para o lugar em que estão colocadas, bem como outras que estão é a mais e sem fazer nenhum.

Agora por exemplo, ser pedreiro, sempre foi uma profissão um pouco julgada a meu ver, em que pensamos que são pessoas que não lhes apeteceu estudar e sendo que não tem qualquer habilitação, são postas um pouco de lado. O meu pai é pedreiro e sinceramente tenho todo o orgulho em dizer isso. Porque o meu pai além de ser um homem cheio de forças e trabalhador, é também alguém honrado que não manda piropos a ninguém, como é conhecido desta profissão, alguns homens meterem-se com as mulheres. Eu própria já ouvi assobios de pedreiros, mas isso não me leva a pensar que são todos iguais. 

Contudo, hoje fez-me pensar nesta profissão, sobretudo por ouvir o meu pai a queixar-se dos ouvidos e dos ossos, devido ao trabalho. A saúde não é a mesma, mas é um trabalho que esgota bastante uma pessoa, então fisicamente é demais... Têm que acartar pesos (sacos de cimento, tijolos etc.), têm se ouvir ruídos de rebarbadoras (hoje tive de ir comprar auriculares pois ele já não aguentava), têm de andar em qualquer posição, seja de pé, deitado ou de joelhos dependendo do trabalho que tenham para fazer (esta semana até calos nos joelhos o meu pai ganhou) e sobretudo trabalhar à chuva e ao sol. Já imaginaram com este calor abrasador, estar num telhado a apanhar ondas de calor terríveis? Se nós até mesmo a fazer uma caminhada procuramos a sombra e mesmo assim o ar sufoca, imaginem quem trabalha em obras, em que está sujeito a apanhar calor e sol a escaldar, como também chuva e ter que arranjar forças para se manter até ao final do dia. Não é nada fácil e se formos a ver os ordenados, são injustos, porque só o esforço e o trabalho árduo que fazem, mereciam muito mais. Não é qualquer um que se dedica a este tipo de profissão e os anos passam e as forças são cada vez menores para continuar.

Por vezes sinto pena do meu pai, pois só ele sabe o que sofre, mas também sei que é algo que ele faz por gosto e bem, é exigente consigo próprio bem como com aqueles com quem trabalha. Mas só eu sei o ar com que ele chega, cansado, estoirado, queixando-se de dores e para quem é branco, está quase negro do sol que apanha todos os dias... É por isto que eu tenho orgulho no pai que tenho, no bom homem que ele é.
E mesmo que esteja cheio de dores e estafado de trabalhar, arranja sempre algo em casa para fazer, não pára um minuto a ver tv, prefere cuidar dos animais, ir à horta, cuidar das flores ou fazer qualquer coisa, mas parado não está. É admirável. Não por ser meu pai, mas pela vontade que ele tem e pela pessoa dinâmica e criativa que é.

Comentários

  1. Todas as suas profissões tem o seu valor,mas não é pelo facto de estudarem muito ou não para uma profissão que faz das pessoas melhores profissionais ou mais competentes.

    ResponderEliminar
  2. ...sou licenciada (a primeira aliás do lado da família do meu pai e a segunda do da minha mãe, o que só reforça o que disseste que antes quase ninguém o era)....e percebo completamente esta tua reflexão...a minha mãe vive da agricultura e o que recebe não chega sequer perto do que este tipo de trabalho exige! Mas lá está, Portugal tem por hábito valorizar pouco o que é seu, já não é de hoje...e na minha opinião toda e qualquer profissão é necessária...e como tal todas elas são dignas de respeito e admiração...beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Eu também sou licenciada, mas isso nada me garantiu. Às vezes penso que ter ido logo trabalhar com a minha mãe depois do 12º teria sido melhor. Já teria carro e casa? Talvez não, mas não teria dado os custos que dei para agora estar na prateleira. :c

    Os parabéns ao teu pai, pelo esforço de cada dia. Eu não conseguia estar ali a torrar ao sol, não...

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  4. Identifico-me com o teu post: a minha mãe é empregada doméstica e o meu pai funcionário público (monta os sinais de transito na rua) e por vezes faz biscates.
    Não têm licenciaturas, mas são pessoas honradas e nunca faltou nada aos filhos, inclusive deram me a oportunidade de ir para a faculdade.

    As pessoas so querem saber se são advogados, médicos, etc...o resto não interessa...
    No entanto, há tantos licenciados sem emprego...nada hoje em dia é garantido

    E outra coisa...enquanto que um jogador de futebol ganha milhares, o bombeiro que arrisca a sua vida para salvar outras, quase não ganha nada...para mim é muito injusto.

    Enfim

    ResponderEliminar
  5. Os estudos já não são sinal de uma vida melhor hoje em dia... Infelimente... Sou licenciada e sinto-me enganada... :(

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Madrinha tem Saudades Tuas

Puffs Mágicos - Uma ideia criativa

Em modo de Desabafo...