A Realidade Magoa

"Sabemos distinguir entre necessidades (aquilo que dependemos para sobreviver) e desejos (o que gostaríamos de ter) ?"

A vida é feita de sonhos e desejos que pretendemos concretizar no decorrer desta vida, mas será que teremos nós condições para os realizar? Ficam as questões no ar.
Actualmente vemos uma vida cada vez mais difícil de se viver, pelo simples facto dos nossos direitos como cidadãos que somos, estão evaporar aos bocadinhos.
Como dizem os meus pais e muito bem, estamos a voltar aos nossos ante passados, aos anos de vivência dos nossos avós, onde muitas famílias viviam da agricultura, pouco consumismo faziam a nível material e só gastavam para o essencial, principalmente na alimentação. 
Como nunca vivemos nesses tempos, não sabemos por vezes dar valor a algumas coisas que temos hoje em dia e há facilidade em adquirir o que tanto queremos, os tempos mudaram mesmo muito e rapidamente. Agora voltar atrás é como sofrer por já não ter uma vida como tínhamos antes, por chegarmos ao fim do mês a contarmos os trocos, por não podermos comprarmos alguns extras para satisfazer as nossas necessidades (por vezes de luxo), como será para muita gente que está habituada a ter tudo ou quase tudo e aos poucos a conter-se com os gastos, a fazer cálculos para que pelo menos haja dinheiro para as despesas (água, luz, gás, alimentação...) ...
A pergunta acima diz se sabemos distinguir necessidades de desejos, acho que muita gente ainda não o consegue fazer, no meu caso eu já sinto a crise, também pelo facto de estar desempregada, mas antes não havia muita preocupação, até dava para poupar algum de parte. Neste momento é impossível e isto refiro-me há situação dos meus pais e de muita gente neste nosso Portugal. E é triste pensarmos que nem os nossos preciosos sonhos poderemos um dia vir a concretizar, porque da maneira como vão as coisas, ficamos sempre com o pé atrás e sem grandes esperanças futuras.
Sonhar é importante e mais gratificante o é se realizarmos os nossos desejos, mas talvez nisto tudo o fundamental é ter algo para comer sempre a cada mês que passa, caso contrário a necessidade aparece e sonhar perde toda a sua magia cintilante. 


Desafio proposto pela Fábrica de Letras .
Mês de Dezembro.

Comentários

  1. Já dei por mim a pensar nisso... Infelizmente muita gente vai ter que meter de lado os seus desejos para satisfazer as necessidades :\

    ResponderEliminar
  2. Sem a barriga cheia das necessidades, até os sonhos ficam sem sentido...LINDO! beijos,chica

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito da tua reflexão e não podia estar mais de acordo :)
    Beijinhos e bom domingo*

    ResponderEliminar
  4. Concordo que estamos num tempo em que tempos de dar prioridade às nossas necessidades...mas também não podemos deixar de sonhar nem deixar de acreditar que dias melhores virão, pois se perdermos essa capacidade perderemos certamente a vontade de viver...

    ResponderEliminar
  5. Quando se está em dificuldades fica dificil mesmo distinguir entre necessidade e desejo,já que os dois se confundem!Excelente sua participação!bjs e boa semana!

    ResponderEliminar
  6. Os teus pais têm razão. Um dia muito próximo, ainda muitos jardins serão lavrados para que se transformem em hortas. Quando se tem um pedaço de terra ainda se pode cultivar e ter produtos da terra. Mas nem toda a gente se pode virar para a terra e são as populações das cidades que mais sofrem com esta crise. O desemprego e sem um chão que lhes dê uma batatas, não têm um vizinho que lhes acuda. As aldeias são e sempre foram um abrigo para quem cai em desgraça.

    Nãodeixes de sonhar, e que os teus sonhos se realizem.

    Bj**

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, concordo consigo. Apesar de mesmo assim a crise chegar a todos, mesmo aos das aldeias. Talvez as mentalidades é que estejam um pouco desiguais, porque nas cidades por vezes conseguem ter mais oferta do que nas aldeias e pequenas vilas.

      Seja bem-vinda Mz :)
      Beijinho

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Madrinha tem Saudades Tuas

Natal na Aldeia - Castanheira COM VIDA!

Tragédia que Nunca Esquecerei