Um dos Lados Bons da Blogosfera

Há pessoas na blogosfera que valem a pena conhecer, porque apesar de ser tudo virtual, nós tocamos corações, nós criamos afinidades somente com a escrita. Por vezes nem necessita de uma conversa, simplesmente ter um blogue onde somos totalmente transparentes já é um bom inicio para sabermos quem está do outro lado, conhecermos a sua parte interior. 

É por estas razões que nunca larguei a blogosfera, porque mesmo tendo poucos seguidores, mesmo afastando-me por uns tempos, eu sei que há sempre alguém do outro lado pronto a apoiar-me, a conhecer-me de longe por aquilo que escrevo e tento transmitir. Não sou perfeita, ninguém o é, sei que por vezes o meu blogue pode se tornar melancólico e deprimente para algumas pessoas, mas é nele que procuro derramar algumas mágoas, alguns pensamentos, algumas alegrias e tudo o que me sentir à vontade para escrever.

Este espaço é meu, fui eu que o criei, quem gostar fica, quem não gostar pode ir, fica ao critério de cada um, somos livres para decidir o que fazer e sem sermos obrigados a permanecer.
Isto tudo para dizer que para além de algumas pessoas que já conheci aqui da blogosfera (infelizmente pessoalmente não), há sempre uma ou outra que se destaca pelas suas palavras, pelos seus conselhos e pelo carinho que transmite. 
Aqui está um exemplo de um mail enviado há pouco por uma pessoa que é minha seguidora.

"...
Desde que te comecei a seguir que me identifiquei muito contigo. És uma rapariga muito doce, sensível, querida, inteligente, tens conteúdo, maturidade, bonitos objectivos e sonhos de vida...tudo isto tu transpareces na tua escrita, tudo isto és tu! Mas entristece-me ver-te triste.

Durante cerca de dois anos tive uma fase assim. Andava sempre triste, descrente no mundo e nas pessoas. Perdi a vontade de fazer coisas que antes eu adorava fazer. Afastei-me de quase todos os meus amigos que com o tempo deixaram de me convidar para sair com eles, porque eu recusava sempre os convites uma vez que só me sentia bem fechada em casa. Vivi durante esse tempo no meu mundo, na minha realidade, só estava em contextos sociais quando ia para a escola e posteriormente a faculdade, de resto eu quase não saia da minha zona de conforto.

Não me sentia uma pessoa confiante, interessante, bonita. Não via qualidades em mim, achava sempre que os outros eram muito melhores do que eu. Não suportava as outras pessoas, achava-as chatas, infantis, mesquinhas. Andava sempre visivelmente triste ou chateada. Rir, sorrir, divertir-me, eram sempre acções forçadas para mim.

Quem se iria interessar por alguém assim? Pois, realmente, ninguém. Ninguém se iria interessar por alguém que não gostava de si mesma!

Eu sofri. Sofri muito. E sentia-me cada vez mais sozinha. E o problema é que chega a um ponto em que nos acomodamos ao sofrimento e depois é difícil sair dali. O sofrimento torna-se confortável. Acabamos por preferir o sofrimento do que a possibilidade de sairmos daquele poço sem fundo. Porque sair dali requer muita força, paciência e trabalho de nossa parte e isso custa. Isso precisa de motivação e dedicação. Mas ninguém se sente motivado e dedicado a mudar quando sente que vive com uma nuvem negra dentro da cabeça.

O ponto de viragem foi quando a minha amiga mais sábia e confidente me disse: "A resposta está dentro de ti". Não era o mundo que estava contra mim, era eu! 

Foi então que percebi que eu deveria agir. Eu não iria conseguir vencer aquilo sozinha mas também não pretendia continuar a estragar a minha própria vida por causa dos meus próprios pensamentos, pensamentos esses que tomando o caminho certo podiam mudar. Os meus próprios pensamentos eram os culpados de tudo, mais ninguém.
..."
(Foi postado com consentimento dessa pessoa) 


E tem toda a razão, mesmo assim não está o mail todo, mas as partes essenciais estão aqui. Alguém que perdeu um pouco de tempo comigo a escrever a sua história e a fazer ver-me que nem tudo está perdido quando só vemos uma nuvem negra em frente.

São estas pessoas que na verdade me tocam o coração, sem eu pedir, elas estão ali, prontas a ajudar, a vir ter comigo sem nada pedir. Já fiz também isto com mais pessoas e gosto de o fazer, sentir-me útil e ajudar. Mas por vezes sinto que sou eu que preciso de ajuda e de conselhos, mesmo sabendo que tenho de mudar o meu ritmo de vida, a minha maneira de viver.
Vivendo um dia de cada vez....

Comentários

  1. Olá. Sou nova nestas coisas dos blogues e meti-me nesta aventura, precisamente por atravessar uma fase mais complicada na minha vida neste momento e sentir uma necessidade de desabafar e escrever, mesmo que ninguém lesse.
    Encontrei o teu cantinho e já está na minha lista de blogues, pois identifico-me muito com aquilo que escreves...
    Não desistas de publicar aquilo que te apetece, triste ou alegre, bom ou mau... porque do lado de lá poderá estar alguém que se sente da mesma forma que tu...e quem sabe as tuas palavras e os conselhos que recebes não o ajudarão?
    Deixo-te aqui um conselho que eu própria me dou todos os dias, pois vejo que também não te encontras numa fase muito fácil...mesmo que o dia te tenha corrido muito mal, mesmo que a vida ás vezes te pareça mais dificil do que deveria ser, pensa sempre que amanhã será outro dia...que amanhã será melhor...poderá não ser já amanhã, mas um dia garanto-te que será... :)
    Um bjinho grande

    ResponderEliminar
  2. É verdade Paulinha, de vez em quando encontra-se pessoas maravilhosas por aqui. Eu encontrei algumas (e sei que tenho andado um pouco distante) e tenho-as no meu coração, mesmo não as conhecendo pessoalmente. Acho que és uma das pessoas mais queridas que já "conheci" e acho que a tua alegria de viver (mesmo quando estás triste) é um exemplo a seguir e é contagiante. Eu sei que se vier aqui, que vou sorrir e sentir-me mais leve.
    Existem pessoas que nos tocam, que nos acolhem e aceitam sem questões. São essas as que importam e que caminham ao nosso lado e crescem connosco. Isso é amizade, não importa o resto.
    Beijos grandes

    ResponderEliminar
  3. Olá Paulita!
    Primeiro, deixa-me pedir desculpa pela minha ausência. Tentarei vir cá mais vezes, pois gosto mito do teu cantinho :)
    De facto, é sempre bom encontrarmos alguém na blogosfera que nos marque. Eu encontrei quem me tivesse marcado, embora não tenha escrito um email, mas tudo se tenha passado em comentários.
    Há coisas que não concordo muito com o que essa pessoa te disse, falar do sofrimento como se fosse algo terrível e tal... Enfim, eu tenho uma longa história e não gosto de partilhá-la, todavia acredito que a dor nos ensina a ser fortes, criamos uma vida à volta disso, muitas vezes.
    Bom feriado, querida. Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. E é assim que tem de ser, devemos ajudar-nos uns aos outros, pois na vida todos somos alunos e mestres...ensinamos aos outros e aprendemos com eles! ^^

    Beijinhos :3

    ResponderEliminar
  5. Boa! :D
    Ainda bem que existem pessoas como vocês as duas na blogocoisa :D

    ResponderEliminar
  6. Sou relativamente nova neste mundo da blogosfera e é fantástico as coisas/momentos/amizade que já me proporcionou...isto é quase uma terapia!

    ResponderEliminar
  7. Sou nova na blogosfera mas estou a adorar!! :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Madrinha tem Saudades Tuas

Tragédia que Nunca Esquecerei

Puffs Mágicos - Uma ideia criativa